Alunos participam da Olimpíada Brasileira de Informática

Estudantes de graduação do Instituto de Computação (Icomp) da UFAM participaram nesta sexta-feira (12) da 1 fase da Olimpíada Brasileira de Informática (OBI), na modalidade universitário, no laboratório de computação do instituto. Estiveram presentes ao todo 36 competidores que puderam realizar as provas e resolver os desafios propostos pela disputa.

OBI é uma competição nacional promovida pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e que faz parte da Olímpiada Internacional de Informática (IOI), promovida pela UNESCO (The United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization). O objetivo da OBI é despertar nos alunos o interesse por uma ciência importante na formação básica hoje em dia (no caso, ciência da computação), através de uma atividade que envolve desafio, engenhosidade e uma saudável dose de competição.

Ao todo a competição tem as fases locais, regionais e nacionais. Os melhores competidores ganham certificados e medalhas nas primeira colocações em cada uma das fases. Além disso, os alunos que mais se destacarem nas nacionais vão participar de um preparação para a competição internacional, com duração de um mês, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Para a doutora e delegada da competição na UFAM, Rosiane de Freitas Rodrigues, os benefícios de participar de uma competição como essa são inúmeros. “As competições dão experiência para o aluno lidar com grandes desafios. Nós temos muitos ex-alunos que trabalham hoje no Google, Amazon e Microsoft. Vários já nos disseram da importância que as competições tiveram para o processo de entrevista deles nessas grande empresas”, afirma a delegada.

O OBI, diferente de outras competições, tem como foco alunos do ensino médio e do primeiro ano da graduação. Segundo Rosiane, professores podem se cadastrar e levar a competição para dentro dos muros de suas escolas. “Para competir não precisa ser da Ufam ou de qualquer universidade. Qualquer escola se cadastrar no site da olimpíada e tornar um professor delegado da competição”.

Independente da escolaridade, a prof. Rosiane Freitas recomenda que os alunos interessados participem das competições. “As competições treinam o raciocínio lógico e o pensamento computacional. Qualquer interessado em participar das competições pode entrar em contato conosco”, finaliza.